Sem “alma” não dá.

Como é fácil “retirar a alma” de um projeto criativo.

Há algumas histórias clássicas na relação entre um cliente e a sua agência de publicidade.

Quem não conhece a história do macaco?

Conta-se que uma grande montadora japonesa contratou uma agência de publicidade norte-americana, para criação de uma campanha de introdução da marca nos EUA.

O roteiro do filme, apresentado para executivos do cliente, trazia como personagem principal um macaco, inspirado no filme King kong.

O atendimento apresenta a ideia e é aplaudido pelo cliente.

Campanha aprovada!

Porém, como uma “pequena” ressalva do presidente da companhia:

“O trabalho estava maravilhoso, mas algo deveria ser alterado:  o macaco deve ser retirado”.

Esse caso clássico ilustra bem o corriqueiro processo de criação, apresentação, comitês, aprovação, produção, etc., que convivemos no dia a dia nesse negócio de fazer publicidade.

Sem alma não há tesão para continuar.

Sem alma não há resultado que prospere.

© paramount pictures

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.